Jornal do Notário: conheça tabeliães que seguiram carreira na atividade extrajudicial por incentivo dos pais

Publicado em: 10/08/2018
O Dia dos Pais (12 de agosto) é mais uma das datas em que relembramos a importância da figura paterna em nossas vidas e refletimos sobre a sabedoria adquirida por meio dos ensinamentos passados adiante por esse protagonista tão importante. Seja na vida amorosa, acadêmica ou pessoal, não existe uma forma de fugir de conselhos e de clichês como “Eu te avisei”, “Quando eu não estiver mais aqui, você vai sentir minha falta”, “Enquanto estiver sob o meu teto, vai seguir as minhas regras” que carregamos para o resto da vida.

No âmbito profissional não seria diferente, diversos exemplos de filhos que seguiram a mesma área de atuação dos pais como Jaden Smith e Will Smith, Preta Gil e Gilberto Gil, Tarcísio Filho e Tarcísio Meira são apenas três dos mais famosos. Foi assim que o 2º Tabelião de Notas de Ribeirão Preto, Daniel Paes de Almeida, se interessou pela atividade notarial. Por ter um pai que trabalhou mais de 40 anos no 1º Registro Civil de Pessoas Naturais de Ribeirão Preto, desde muito cedo teve contato com as atividades realizadas nos cartórios.

Ainda quando criança, aprendeu a lidar com os funcionários e com a importância de um bom atendimento à população. “Meu pai é um ser humano abençoado, foi dele que tirei os principais ensinamentos que uso no meu dia a dia, de tratar o próximo da forma mais humana possível, com amor e respeito”, declara o notário.

Daniel Paes conta como foi o processo desde seu primeiro contato com a atividade em sua juventude, a conclusão de sua graduação e a primeira relação literal com um cartório de notas. “Assim que me interessei e decidi trabalhar na área extrajudicial, ele me mostrou todo o caminho a ser percorrido para ter êxito num dos concursos mais concorridos no Brasil”, revela.

Com o Tabelião de Notas e Oficial de Registro Civil das Pessoas Naturais de Ibaté, Bruno de Luca, a entrada para o mundo notarial se deu por um caminho diferente. Seu pai era economista e trabalhava proximamente à atividade rural. Nesse contexto, diversos atos necessários para o desenvolvimento da profissão de agricultor dependiam de serviços notariais e registrais, tais como: autenticação, reconhecimento de firmas, lavratura de contratos por escritura pública e registro de bens móveis e imóveis.

Foi assim que Bruno se familiarizou desde cedo com os serviços prestados pelos cartórios de notas. Apesar do grande contato durante sua juventude, foi apenas depois de estágios em lugares como Ministério Público e escritórios de advocacia que o atual tabelião se interessou pelo ramo. “O respeito ao próximo, a ética, o comprometimento e o aperfeiçoamento constante são características tão presentes na área notarial, mas que eu aprendi com o meu pai. Na rotina da serventia é fundamental agir com ética e respeito ao próximo para compreender as necessidades das pessoas e efetivar juridicamente suas vontades”, pondera o notário.

No momento em que teve a oportunidade de conhecer melhor as atividades realizadas pela área extrajudicial, Bruno de Luca consolidou seu interesse e foi aprovado no 7º Concurso Público para Outorga de Delegações de Notas e Registros de São Paulo, realizado em 2011. “Sinto-me honrado de exercer uma atividade de grande relevância para a sociedade. No futuro, espero que a nossa classe se fortaleça e consiga atender com excelência as novas demandas. Além disso, espero que possamos ampliar nossa atuação com o emprego de novas tecnologias e a aquisição de novas atribuições, exercendo sempre com eficiência e segurança a missão que nos foi confiada”, conclui.

Fonte: CNB/SP
Tags relacionadas: Dia dos pais, Tabeliães, Atividade Extrajudicial