Artigo: Cidadania, estudar fora do Brasil, entre outros casos, saiba como fazer o apostilamento dos documentos – Por Erika da Silva Vieira

Publicado em: 16/07/2021
Antigamente se você falasse em estudar fora do país, essa ideia seria considerada uma enorme utopia. Mas hoje é tão comum, seja para estudar no exterior (Portugal, é o preferido), ou por falta de uma perspectiva financeira, ou ainda por dificuldade de encontrar trabalho, entre tantos outros motivos. E quando se fala em dupla cidadania, mais comum ainda.
 
Mas para viajar, além do passaporte, da roupa nova, você já parou para pensar que os documentos precisam de uma atenção também? Sim!!
 
Por isso, temos a Apostila de Haia, uma maneira encontrada pelos países signatários de simplificar e desburocratizar a legalização de documentos emitidos em um país para terem efeito em outros países.
 
A Apostila de Haia, nada mais é do que um selo ou carimbo emitido pelas autoridades competente, que é colocado no documento como forma de certificar/validar sua autenticidade, entre os países signatários da Convenção da Haia (é uma lista extensa, com mais de 100 países).
 
Vamos ao exemplo: o Brasil valida um diploma e Portugal reconhece a validade do documento. Antes isso era feito pelos Consulados, e pensa na demora…
 
Exemplos de documentos que podem ser apostilados: Diplomas universitários, atestados de antecedentes criminais, matrículas de imóveis,
escrituras, ou qualquer documento pessoal que deva ser legalizado para o uso no país fora do Brasil.
 
É feito no cartório, basta levar os documentos que irá precisar para o outro país ou durante o processo de cidadania. É rapidinho e com um custo baixo.
 
Vale ressaltar que não tem como apostilar os documentos nacionais no exterior. Estes devem ser apostilados no Brasil. E se o país destino não faz parte da Convenção, basta legalizar os documentos no Ministério das Relações Exteriores ou no Escritório de Representação Regional local.
 
Então, já sabe, vai sair do Brasil ou fazer cidadania, antes vá a um cartório de sua preferência, faça o apostilamento dos documentos necessários, para que os referidos documentos tenham validade no exterior, e evite problemas maiores lá fora.

Fonte: Portal Tempo Novo